Girassol da sombra

“Sadness will last forever”

Disse o irmão de Van Gogh, Theo, que essas foram as últimas palavras do irmão.

Por quê não “felicidade”?

Podíamos ser felizes e agradecidos todos os dias mas por que temos que arranjar um problema para tudo? Estarmos insatisfeitos com algo?

Porque a tristeza dura pra sempre… o arrependimento, culpa, remorso voltam à nossas cabeças quando menos esperamos. E os momentos bons? Precisamos sentar para recordar: “Lembra, fulano, quando fomos/fizemos/encontramos/viajamos?”. Repararam?

A felicidade tem prazo de validade. Mas nos tempos de hoje, temos a opção de sermos felizes.

Mas é difícil.

Anúncios

Poesias em recortes

“Minhas colagens são poesias em recortes.

Como crio minhas colagens?

Do fundo e do oculto.

A pior coisa que tem é querer criar sem estar conectada com o momento certo.

Como descobrir o momento? Não se descobre, se sente.

Pode ser de estresse ou total liberdade da mente.

Só não se pode definir o momento no seu momento de tempo no agora.

O momento vem. Vem quando ele quer.” -Ana Padilha

Falado um pouco sobre o processo, quais são minhas inspirações? Quem me influencia?

São muitas as inspirações. Movimentos artísticos, fotógrafos, colagistas, épocas e suas características, poesia, cotidiano, moda… enfim.

DADAÍSMO, SURREALISMO E CONSTRUTIVISMO

Como movimentos artísticos, o dadaísmo, o surrealismo e o construtivismo tem grande influência sob meu trabalho.

A visão surrealista do mundo, do imaginário do artista e da leitura que o receptor tem dessa arte.

O construtivismo, pelas formas e técnicas, as quais eram utilizadas fotografia e também intervenções manuais como a colagem.

Como, na época, a tecnologia digital de computação gráfica não existia, o processo manual fazia suas vezes na criação de cartazes bem elaborados.

ARTISTAS

Salvador Dalí e Bosch são dois artistas surrealistas que me inspiram.

Dalí fazia, além de pinturas, objetos e também colaborava com Elsa Schiaparelli, na moda, criando aviamentos e estampas. E ilustrou “A divina comédia” de Dante Alighieri.

Bosch foi um pintor holandês. Um dos primeiros surrealistas datados. Depois veio Bruegel, também bebendo da fonte.

MODA

Claro, a moda. Minha formação.

Pode-se dizer que as primeiras capas da Vogue, dirigidas por Condé Nast, com ilustrações art déco, também são de se inspirar.

Além disso, o cotidiano e comportamento de moda estão presentes nos meus trabalhos.

TEXTOS E AFINS

Arte e suas teorias. A filosofia de Walter Benjamin, com seu pensamento e estudos da Arte tem grande influência.

Minha arte é única. Não é digitalizada nem reproduzida e copiada. A reprodutibilidade da arte para as massas faz a arte original perder seu valor. Mais ou menos o que Benjamin diz.

Abaixo, posto alguns trabalhos feitos.

Se quiserem ver mais, podem entrar em Patacolagens

Um blog de ensaios

Mais um blog.

Fiquei na dúvida se criava um ou não, e agradeço aos que me deram apoio e incentivo para criá-lo.

“Quem vai ler? Vou escrever por escrever…”

A resposta foi “Se fosse assim, pensando no ‘quem vai ler?’ e no ‘ninguém vai ler’, eu não tinha feito o meu.” – obrigada Cyn.

Não se entra na batalha derrotada. Não? Vamos fazer o que nos faz bem.

Para o blog, seu conteúdo e formato… podemos dizer que é “um pouco de tudo e muito de nada.”. Fiquei perdida no que fazer, como começar etc… Então, por que não escrever sobre o que gosto? Qualquer coisa: Sobre moda, design, arte, história, comportamento, críticas (como se eu fosse uma pessoa reconhecida em fazer isso…) e afins…

Mas como escrever? Gosto de escrever e ir escrevendo, sem fim ou nexo. Que tal adotar o método/ modelo de “Ensaio”? Mas o que é um ensaio?

– Texto literário breve, meio poético e meio didático. Com críticas, ideias e reflexões filosóficas a respeito do tema;

– Menos formal e bem flexível;

– Consiste na defesa de um ponto de vista pessoal e subjetivo;

– Assume uma forma livre, sem sistemas e estilo definido.

Com essas definições, achei o ensaio um bom pretexto e combinando com meu estilo de escrita. Esse será o principal, mas nada me impedirá de escrever de outra maneira ou falr sobre outras coisas que não sejam arte, moda, design, filosofia e afins… afinal, vou sair divagando por aí sobre a minha vida e cotidiano. O que vi, vivi, aprendi etc…

Agradeço desde já à todos por terem lido.